quinta-feira, 28 de julho de 2011

segunda-feira, 18 de julho de 2011

domingo, 10 de julho de 2011

Quem são as Irmãs Felicianas?


AS IRMÃS FELICIANAS, oficialmente conhecidas como CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS DE SÃO FÉLIX DE CANTALICE, TERCEIRA ORDEM REGULAR DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS (CSSF), é um instituto religioso de direito pontifício, cujos membros professam votos públicos de castidade, pobreza, e obediência e seguem o caminho evangélico da vida em comunidade. A meta da comunidade é cooperar com Cristo na renovação espiritual do mundo. Sendo uma congregação apostólica, as Irmãs Felicianas cumprem sua missão na Igreja através da contemplação e da ação.
A história da comunidade Feliciana teve seu início no século dezenove na Polônia, que deixou de existir como nação no ano de 1795, quando foi dividida entre a Rússia, a Prússia, e a Áustria. O duro começo no setor Russo foi mesclado com a tristeza e a angústia dos pobres e dos aflitos, enquanto o país lutava sob a opressão da liderança estrangeira.


Início

A verdadeira história das Irmãs Felicianas, contudo, começa com a vida e o carisma da Bem-aventurada Maria Ângela Truszkowska e continua com as histórias das suas primeiras seguidoras.
As primeiras crônicas e o Memorial contam como o carisma da Congregação foi expresso pelas primeiras Felicianas cujas vidas foram centradas na oração que as levou a um apostolado efetivo. Desde sua origem, a Congregação se engajou em serviços sociais. Consequentemente, diversas formas de obras de caridade tornaram-se inseparáveis da vocação Feliciana.
Os órfãos, as mulheres pobres, e os deficientes se juntaram ao redor das irmãs. Para responder às necessidades da Igreja, o bispo delegou-lhes a responsabilidade de dirigir a Ordem Terceira Secular, e o catecumenato das mulheres. Foram chamadas a servir os doentes em suas casas e nos hospitais, assim como visitar os prisioneiros. Durante a guerra civil, elas cuidavam de todos os soldados feridos, até dos inimigos. As Irmãs eram responsáveis pelos centros sociais onde ensinavam e cuidavam das crianças, davam aulas de religião para os adultos e ensinavam trabalhos manuais para as mulheres. Muitas confrarias se uniram a elas. Pessoas que desejavam participar nas celebrações e orações procuravam a orientação das Irmãs. Com isso, as Irmãs compreenderam que elas não deveriam escolher um serviço particular, mas que deveriam estar preparadas para aceitar qualquer designação para a maior glória de Deus. As Irmãs foram encorajadas a não se desviarem do espírito original de prontidão, porque em seu modo de vida, a disposição para tudo era indispensável. (Memorial de Congregação). (http://www.felicianas.com.br/novo_site/)